Stand de vendas: uma faca de dois gumes

Saiba como funciona um plantão de vendas e fuja de roubadas

Comprar um imóvel pode ser uma das melhores experiências que alguém pode ter na vida. Um dos fatores que contribuem para isso é o stand de vendas. A fim de atrair o máximo de clientes e criar uma atmosfera favorável para a concretização da venda, o local, normalmente, é composto por um apartamento decorado e diversas imagens do imóvel.

 

Para saber mais sobre o funcionamento de um stand imobiliário e quais os cuidados a se tomar no processo de compra de um imóvel, confira o post abaixo!

Como funciona um stand de vendas?

Um stand de vendas bonito e contemplativo aos clientes é importantíssimo para o sucesso de uma empreitada. Instalado antes da construção do imóvel, é um desafio para a incorporadora erguer um stand que chame a atenção das pessoas interessadas em comprar um imóvel. Pense que ela está vendendo um produto que ainda nem existe.

Nesse sentido, o stand de vendas conterá, com certeza, diversas imagens ilustrativas do prédio que será construído — além, claro, da maquete do mesmo e de um apartamento decorado. Esse último, inclusive, talvez seja a demonstração mais importante para o cliente de que o imóvel em que ele está interessado é, realmente, aquilo que está sendo oferecido.

Ao visitar um stand de vendas de imóveis na planta, o cliente, atendido por um corretor imobiliário, terá o direito de analisar tanto o apartamento decorado quanto a maquete e as outras imagens ilustrativas pelo tempo que achar necessário. Devido a necessidade de fechar vendas, os vendedores costumam deixar os clientes à vontade pelo stand.

Entenda o porquê o stand é importante para as construtoras

Como dito anteriormente, o stand de vendas precisa de elementos atrativos para conquistar o cliente ao ponto de convencê-lo a comprar o imóvel na planta em questão. Por ser um produto que ainda nem foi construído, tal tarefa pode acabar sendo um desafio e tanto.

Os apartamentos decorados, por exemplo, precisam ser feitos de forma muito bem pensada. Normalmente, é no stand de vendas que o consumidor decide pela concretização da compra do imóvel. Nesse sentido, as incorporadoras devem tomá-lo como ponto crítico para realizar uma venda.

 

Mais do que despertar a confiança do cliente no produto em questão, o stand ajuda, também, na manutenção da imagem da imobiliária e da incorporadora que estão liderando o projeto. Para criar autoridade no mercado, é fundamental que os stands, além de atrativos e completos, tragam resultados — em vendas e potenciais clientes — para os vendedores.

Tenha cautela ao visitar um decorado

É fato que a atmosfera criada por um stand de vendas pode aguçar as emoções de uma pessoa interessada em adquirir um apartamento próprio. No entanto, estamos falando de uma situação que envolve grandes quantias de dinheiro e, portanto, precisam de um planejamento financeiro detalhado para que o consumidor não entre em uma roubada.

 

Se comprometer com um financiamento imobiliário pode não ser tão simples assim — mesmo comprando-o com as melhores taxas do mercado. Essa é uma dívida que perdura por anos ou até mesmo décadas. Portanto, contar com imprevistos e analisar com cuidado as formas de pagamento e amortização propostas no stand de vendas é essencial.

Boas dicas de vendas e compras, normalmente, envolvem o fator pesquisa. Nesse sentido, é importante o consumidor saber que, além daquele imóvel ao qual o corretor está empurrando para cima do cliente, há diversas outras opções semelhantes e com preços diferentes. Pesquisar o mercado é um dos primeiros e principais passos para realizar a melhor compra.

Quais documentos atestam a venda de um imóvel?

O Compromisso Particular de Compra e Venda é o primeiro documento que a pessoa irá assinar após fechar a compra do seu imóvel. Com ele, o comprador se torna, de fato, o detentor dos direitos aquisitivos sobre o produto em questão. Uma vez assinado, o consumidor irá receber um outro documento importante: o Memorial Descritivo.

 

Enquanto o outro atesta o cliente como o proprietário do imóvel, esse serve para registrar tudo o que foi acordado durante a negociação com a incorporadora e o corretor. Metragem, forma de pagamento e até mesmo o prazo de construção do imóvel são inseridos nessa papelada. Sem ele, o consumidor não consegue legitimar as suas reivindicações.

 

Ao término das obras — que, normalmente, levam em torno de três anos para serem concluídas —, a incorporadora é obrigada a notificar os compradores sobre a liberação do Habite-se. Esse, sim, é o documento definitivo que permite a utilização do imóvel por parte dos seus proprietários. Com ele, confirma-se que o resultado da obra está nas conformidades.

 

Está procurando por um financiamento de imóvel, mas não sabe qual adquirir? Nós encontramos para você a melhor taxa do mercado, faça uma simulação em nosso site!



  • Stand de vendas: o que esperar
Veja Também