Sistemas de amortização e o financiamento

Conheça os diferentes sistemas de amortização e escolha o melhor para sua situação

Está fazendo um financiamento e apareceu um dinheiro extra? Pensou em adiantar algumas parcelas para agilizar o pagamento da dívida? A amortização pode ser feita a qualquer momento e quantas vezes o cliente desejar. Só é preciso ter uma quantia para antecipar o pagamento e reduzir seu valor ou o número de prestações. 

O valor total a ser pago pode diminuir muito. Caso falte R$ 300 mil para quitar e R$ 50 mil sejam amortizados, o saldo devedor será de R$ 250 mil. Neste cenário, caso as prestações continuem com o mesmo valor, o prazo para pagamento diminui. Também é possível manter o número de parcelas mediante redução de valor. 

Essas diferenciações no prazo de pagamento e no valor estão diretamente ligadas aos diferentes tipos de amortização. Separadas em duas categorias, chamadas de tabelas Price e SAC, cada uma delas oferece condições diferenciadas dependendo do caso. Saiba mais sobre o assunto e qual delas se aplica ao seu caso. 

Tabela Price

O sistema de amortização Price oferece parcelas sempre de igual valor, equilibrando a proporção entre juros e mensalidade. Sua principal característica é que, conforme o pagamento avança, os juros presentes nas parcelas diminuem, enquanto o valor pago pelo bem aumenta, sem alterar o montante pago por parcela. 

As parcelas com valores fixos são um dos principais benefícios da tabela price, pois possibilitam que o devedor planeje seu orçamento incluindo sempre o mesmo montante em suas despesas mensais, não comprometendo a renda destinada ao pagamento. 

Tabela SAC 

O sistema de amortização SAC (Sistema de Amortização Constante) é caracterizado por parcelas com valor decrescente ao longo do financiamento. Os valores diminuem porque os juros cobrados no início do processo são maiores e, conforme a dívida vai sendo paga, eles diminuem, barateando as parcelas. 

O principal atrativo da tabela SAC é que, com a flutuação da economia, os juros pagos no começo são maiores e vão diminuindo ao longo do processo. No final, você estará pagando menos. Pode ser uma opção mais vantajosa, já que os juros possuem tendência a aumentar com o tempo.

Com a flutuação da economia, é natural que os juros aumentem com o tempo, por isso a tabela SAC pode ser uma boa opção. No começo do financiamento, o valor pago pelos juros é maior, mas eles diminuem gradativamente as parcelas, evitando juros mais caros no futuro. 

O uso do FGTS nas amortizações

No caso dos financiamentos de imóveis, o FGTS pode ser utilizado para amortizar ou quitar o saldo devedor. Essa modalidade é válida apenas para os financiamentos contratados no âmbito do Sistema Financeiro Habitação (SFH). 

Para utilizar o benefício dessa forma existem algumas condições. Uma delas é que a pessoa não pode ter outro financiamento no SFH em território nacional. O FGTS também não pode ter sido utilizado nos últimos três anos para aquisição anterior de imóvel. 

Outra restrição também é a avaliação do imóvel, que deve custar até R$ 1,5 milhão. 

Soluções de financiamento é na Melhortaxa!

Está fazendo um financiamento e precisa de uma ajudinha para decidir qual é a melhor forma de amortização? Ainda não chegou nessa etapa e está tentando escolher qual financiamento contratar?  A Melhortaxa pesquisa as condições de mercado que mais se encaixam à sua realidade! 

Conheça as nossas soluções de financiamento e converse com um de nossos especialistas! 

Veja Também