Saiba por que fazer um consórcio vale a pena

Entender porque consórcio vale a pena é a melhor maneira de fazer a escolha certa ao contratar um crédito


Para você que está se questionando se consórcio vale a pena, nós vamos explicar o porquê esse tipo de crédito pode ser vantajoso. Mesmo em primeiro plano passar a impressão de ser mais custoso em relação ao financiamento, ele pode ser uma excelente opção, principalmente por conta da isenção dos juros.

Normalmente, o consórcio imobiliário é muito procurado por quem não consegue poupar um pouco de dinheiro todo mês, mas deseja adquirir um imóvel. Além disso, muitos consideram esse sistema como um autofinanciamento, ou seja, um grupo de pessoas forma um saldo comum e possuem o mesmo objetivo: comprar um bem.

Neste post, iremos mostrar à você o quanto consórcio imobiliário vale a pena e suas principais vantagens em relação aos outros serviços de crédito. Confira!

?

Como funciona o consórcio de imóveis

Entender como funciona e os motivos pelos quais vale a pena fazer consórcio é bastante simples. Nessa modalidade de crédito, um grupo de pessoas contribui mensalmente com uma quantia em dinheiro, como se fosse o pagamento de uma parcela comum de financiamento imobiliário.

Sua grande vantagem é a ausência total de juros, fazendo a modalidade ser considerada vantajosa e econômica por parte de quem deseja comprar um imóvel. Nesse caso, as únicas taxas a serem pagas pelo grupo são as da administradora, do seguro e de reserva.

As taxas pagas à administradora são todas aquelas correspondentes aos serviços prestados pela razão social que faz a manutenção da carta de crédito. O seguro é importante em situações envolvendo falecimento, invalidez ou outros incidentes no qual os membros podem sofrer. Por fim, o fundo de reserva é importante em situações de inadimplência.

Diferentemente dos financiamentos imobiliários, o consórcio não libera o crédito de imediato. Na prática, o interessado só obtém o valor necessário para a compra quando é contemplado seja por meio de sorteios mensais ou ofertas de lances fixos, embutidos ou livres.

Mensalmente, os administradores dos consórcios fazem assembleias e sorteiam ao menos uma carta contemplada. Além disso, há a possibilidade de dar lances, semelhante ao processo de um leilão, ou seja, quem faz a maior oferta, ganha.

Os três tipos de lance existentes

Fixo, embutido e livre: existem três tipos de lances a serem dados pelos participantes a fim de receberem a carta de contemplação o quanto antes. No Brasil, a modalidade livre é a mais usada e consiste no fato do participante ofertar quanto julgar necessário e, quem propor o maior valor, será o ganhador.

No lance embutido, o interessado não precisa ter dinheiro em mãos e pode oferecer a carta de crédito como lance. Porém, quando for contemplado, o montante recebido terá o valor ofertado descontado do total.

Já no lance fixo, leva ao pagamento de um valor de até 50% maior em relação ao de cada prestação. Quanto mais consorciados houver, mais percentual poderá ser pago — o mínimo, nesse caso, é 25%.

Quanto tempo leva até a pessoa ter a carta contemplada

Quando os participantes dão algum tipo de lance no consórcio imobiliário, eles não fazem nada mais do que adiantar o pagamento das parcelas mensais. Nesse caso, mesmo tendo a carta contemplada, o restante do valor precisa ser quitado até o final do prazo pré estabelecido.

Caso o indivíduo não seja contemplado no sorteio, não restará outra alternativa a não ser esperar a próxima oportunidade. A regra, diante disso, é a posse da carta de crédito em seu nome até o pagamento da última parcela. Por esse motivo, a compra do bem poderá demorar alguns meses ou anos até ser feita.

Com isso, é possível afirmar que um dos principais perfis de pessoas interessadas neste tipo de crédito são aquelas sem pressa de comprar um imóvel.

A importância do planejamento financeiro ao contratar um consórcio

Quem mora de aluguel e opta por essa forma de comprar um imóvel tem um problema a enfrentar. Nesse tipo de situação, assim como no financiamento, o indivíduo despende dinheiro duas vezes no quesito moradia: no pagamento das parcelas e na locação em si.

Diante disso, uma dica antes de contratar um consórcio é fazer um planejamento financeiro, com o objetivo de não comprometer suas economias e orçamento. Por isso, procure reservar até 30% da sua renda todo mês e tente poupar o máximo de dinheiro, evitando compras compulsivas no cartão de crédito no dia a dia.

Segurança proporcionada pelos consórcios

No financiamento imobiliário comum, o risco de inadimplência é assumido pelo pelas instituições financeiras. Não à toa, os credores cobram taxas específicas, já pensando em possíveis embargos que podem surgir no meio do caminho.

No consórcio, a segurança é garantida por todas as pessoas que participam do grupo. Desse modo, o ideal é todos os participantes pagarem as parcelas em dia e, assim, permitir a concessão das cartas de crédito e sua participação nos sorteios mensais e lances.

Para evitar problemas de inadimplência, como já mencionado, as administradoras dos consórcios contam com um fundo de emergência pago pelos participantes nas parcelas mensais. No entanto, tal reserva só suporta até determinado limite de crédito.

Fique por dentro de algumas normas dos consórcios de imóveis

Assim como qualquer outra modalidade de crédito, o consórcio possui normas a serem seguidas por todos os participantes. Por se tratar de um sistema coletivo, tais regras são ainda mais importantes, pois tendem a garantir os direitos de todo o grupo. Confira algumas:

  • não pagamento das parcelas: a inadimplência de uma ou mais prestações pode impedir o participante de concorrer às contemplações feitas mensalmente em sorteios. O direito volta a valer apenas quando houver a quitação de todas as parcelas em aberto;
  • contemplado sem condições de pagar: quem já tiver recebido a carta de crédito e não puder honrar o compromisso deve entrar em contato com a administradora. Em situações extremas, a empresa pode tomar o bem comprado e devolver o valor ao grupo,
  • FGTS: o fundo pode ser usado para pagar o saldo devedor ou ao oferecer um lance. Nesse caso, esse benefício só pode ser usado em imóveis cujo valor seja de até R$ 1,5 milhão em todo o Brasil.

Como comprovar renda

Assim como no financiamento, ao contratar um consórcio imobiliário é preciso comprovar renda. Na prática, o solicitante deve apresentar a maior parte dos documentos depois de receber a carta de crédito, fazendo esse tipo de crédito ser ainda mais vantajoso e menos burocrático.

Ao entrar para o consórcio, a demonstração da renda não é exigida, pois o único risco corrido pela administradora é o não-pagamento das parcelas mensais pelo grupo de clientes. Por outro lado, a transferência de recursos só pode ser realizada após verificar se o solicitante tem condições de pagar a dívida ou não.

A Melhortaxa te ajuda a contratar um consórcio

Como visto, fazer um consórcio vale a pena por inúmeras vantagens proporcionadas por esse tipo de crédito. Mas, se você possui mais alguma dúvida sobre como contratar uma carta, cadastre-se já no site da Melhortaxa.

Nossa equipe especializada irá oferecer total assistência e esclarecer quaisquer dúvidas específicas sobre como se tornar um consorciado. Portanto, não perca mais tempo e cadastre-se já!

Veja Também

Mais lidos