Saiba como calcular o Fundo de Garantia

O cálculo do FGTS ainda é motivo de muitas dúvidas entre os trabalhadores CLT


Saber calcular Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é algo que ainda gera muitas dúvidas em trabalhadores CLT. O montante é acumulado ao longo do período de trabalho, independentemente de o registro ser na mesma empresa. 

O benefício, que antes era conhecido apenas como uma segurança no caso de desligamento de empresas sem justa causa, passou a ser mais utilizado para o pagamento de entrada de financiamentos imobiliários, o que facilita ainda mais a aquisição de uma propriedade. 

Esse, inclusive, é um dos motivos pelos quais é importante o trabalhador saber o valor exato do montante acumulado. Dessa forma, é possível se programar para a realização do sonho da casa própria, por exemplo. Portanto, confira a seguir como é feito o cálculo de Fundo de Garantia

Antes de mais nada, o que é o FGTS?

O FGTS, ou Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, é um direito do trabalhador CLT que está em vigor desde 1967. Ele foi criado pelo Governo Federal para proteger o funcionário que, por algum motivo, é desligado de uma empresa sem justa causa. 

O Fundo de Garantia é uma conta aberta pela empresa, no nome do funcionário, na Caixa Econômica Federal. Mensalmente, 8% do salário bruto é depositado nessa conta (nos casos de Menor Aprendiz, a porcentagem é de 2%), mas esse valor pode não ser o mesmo todos os meses, uma vez que fatores extras o influenciam, como:

  • Adicionais do salário bruto (periculosidade, insalubridade, noturno e afins);
  • Hora extra;
  • Comissões e afins;
  • 13º salário
  • Férias com ?;
  • Aviso prévio;
  • Salário maternidade,
  • Gratificações.

Quando o FGTS pode ser utilizado

Mesmo tendo seu foco na segurança do funcionário que foi demitido sem justa causa, o FGTS sobre salário passou a ser um valor muito importante para outros fins, sem a necessidade do desligamento do trabalhador. Ele pode ser utilizado quando:

  • Houver amortização de parcelas de consórcio imobiliário;
  • Houver amortização em financiamento imobiliário (moradia própria);
  • Houver doença grave ou terminal na família;
  • Houver falecimento do trabalhador;
  • Houver extinção da empresa;
  • Houver rescisão de comum acordo;
  • Houver término de contrato trabalhista;
  • Houver aposentadoria,
  • O funcionário atingir 70 anos.

Como calcular o Fundo de Garantia

Como visto, não é apenas em momento de dificuldade que o Fundo de Garantia pode ser sacado. Para quem deseja comprar um imóvel, por exemplo, pode ser de grande importância saber calcular o saldo do FGTS para, assim, poder se programar financeiramente e evitar inadimplências. 

Para fazer o cálculo, é importante, ainda, ter o conhecimento de sua atualização monetária. A conta do FGTS funciona como uma poupança, onde uma taxa de 3% ao ano — ou 0,25% ao mês — é corrigida. Esses valores constam no extrato de FGTS como Juros e Atualização Monetária (JAM). 

Com isso, o cálculo do Fundo de Garantia consiste em 8% do salário bruto, (somado aos valores adicionais citados acima), mais 0,25% a.m., multiplicado pelos meses trabalhados. Caso sinta dificuldades ou não tenha os valores exatos em mãos, é possível consultar o valor pelo site da Caixa Econômica Federal.

Pode-se ter acesso a esse valor, ainda, diretamente em uma agência da Caixa. Para isso, é necessária uma procuração voltada especificamente para a emissão do extrato detalhado do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. 

Vai financiar? Conte com a Melhortaxa

Se após calcular o Fundo de Garantia você constatou que é possível dar entrada em um financiamento imobiliário e realizar o sonho da casa própria, então seu próximo passo deve ser buscar as melhores taxas de juros do mercado para a aquisição da residência dos seus sonhos. Para isso, conte com a ajuda da assessoria da Melhortaxa!    
 

Veja Também

Mais lidos