Imposto de Renda: Quais são os documentos necessários?

Preparado para a declaração do Imposto de Renda 2016? Saiba quais documentos você deve ter em mãos

A declaração do Imposto de Renda 2016 deve ser apresentada de 1º de março a 29 de abril. Os contribuintes que dispensam a contratação de um contador não devem encontrar dificuldade no preenchimento do formulário eletrônico no site da Receita Federal já que o programa é bastante didático e contém instruções para todas as etapas. Confira a seguir os principais documentos para a declaração do seu IR:

1- Cópia da declaração entregue em 2015 (ano-calendário 2014)

2- Informes de rendimentos de instituições financeiras, bem como de salários, pró-labore, distribuição de lucros, aposentadorias etc.

3- Controle de compra e venda de ações, com apuração mensal de imposto

4- Recibos e notas fiscais relativos a despesas com saúde

5- Comprovantes de despesas com instituições de ensino

6- Recibos de pagamentos à previdência privada e oficial

7- Recibos de aluguéis pagos ou recebidos

8- Documentos que comprovem venda ou compra de bens em 2015

9- Recibos de pagamentos de prestação de bens como imóvel e carro

10- Documentos comprobatórios de dívidas assumidas em 2015

11- Comprovantes de despesas do livro-caixa (para prestadores de serviços autônomos)

12- Darfs de carnê-leão pagos

13- Comprovante de doações para fins de incentivos fiscais (Fundos da Criança e do Adolescente, Lei Rouanet, Audiovisuais etc.)

14- Todos os documentos acima referentes a dependentes, além do número do CPF de dependentes a partir de 14 anos e de todos os alimentandos

15 – Dados da conta bancária para restituição ou débito das cotas do imposto

É bom não deixar a declaração para última hora por dois motivos. O primeiro é que nos últimos dias, como muita gente tende a submeter os dados na data-limite, o sistema da Receita Federal fica sobrecarregado e com lentidão. O outro é que quanto mais cedo você declarar, mais cedo receberá a restituição devida – a não ser que seja encontrada alguma inconsistência na declaração e esta não seja resolvida prontamente. Maiores de 60 anos e deficientes têm prioridade na hora de receber a restituição.

Compartilhe
Veja Também