Como fazer financiamento e evite alguns problemas

Problemas envolvendo financiamento imobiliário podem surgir e você precisa se atentar sobre como resolvê-los

Muitos fatores podem levar o orçamento familiar a fechar no vermelho no fim do mês. Um imprevisto financeiro, perda de emprego, doença, gastos urgentes ou mesmo descuido com as finanças podem levar à falta de dinheiro para completar as contas do mês. E quando existe um financiamento no meio, o cenário fica ainda mais complicado.

Diferente de dever a fatura de um cartão de crédito ou a conta da internet, faltar com o pagamento de um crédito imobiliário tem consequências ainda mais graves. Tanto pelo peso que as parcelas possuem no orçamento mensal, quanto pelo risco de perder o bem.

Contudo, como fazer financiamento sem comprometer seu orçamento e causar possíveis atrasos no pagamento das parcelas? Antes de mais nada, tente negociar com a instituição bancária e reajustar esses débitos – de preferência com planejamento. Saiba mais!

?

1- Conheça suas contas

Conhecer bem suas contas antes de contrair um financiamento de imóveis evita problemas no futuro. A margem de segurança indicada por especialistas é que o financiamento imobiliário corresponda a, no máximo, 30% da renda mensal. Assim, fica mais fácil ajustar as contas e garantir a compra de uma nova propriedade.

Segundo Karen Calixto, advogada e coach financeiro, “em primeiro lugar, deve-se analisar o comportamento da pessoa perante o consumo e, sobretudo, como ela fará para consumir de forma sustentável para realizar seus objetivos.”.

“Detectado seu objetivo de curto, médio e longo prazo, será feito um diagnóstico financeiro, o qual analisará todo o comportamento e atitudes no consumo pessoal e de família, para que, assim, inicie-se o processo de orçar e planejar”, explica.

Um financiamento pode levar mais de dez anos até ser pago por completo. Por isso, escolha um imóvel que caiba no seu bolso e verifique quais possuem as melhores condições. Na Melhortaxa, por exemplo, comparamos gratuitamente os juros das principais instituições do país e constatamos aquelas mais adequadas de acordo com o seu perfil.

Outro ponto importante a se considerar é a estabilidade do seu atual emprego ou fonte de renda. Uma dica para evitar problemas com financiamento é ter uma reserva de emergência antes de contrair quaisquer dívidas envolvendo a compra de um imóvel.

2- Priorize as dívidas mais importantes

Uma vez contratado um financiamento, coloque-o como uma prioridade na sua vida financeira, junto a contas de água, luz e telefone. Diante disso, Calixto ressalta que esse compromisso deve simbolizar algum propósito de vida, como o de sair de vez do aluguel.

“As parcelas são importantes? Lógico, mas o objetivo da pessoa é mais. Pode até ser que um dos objetivos seja liquidar as dívidas, mas, para não tornar a vida tão chata e pesada, ele também poupará para outros objetivos. A vida se torna muito séria e desmotivante se só priorizar quitar dívidas”, afirma.

3- Tente negociá-las

Em primeiro lugar, mantenha a calma e não se desespere. É possível sair da situação de inadimplência e colocar a sua vida financeira em ordem, sem perder o bem financiado. Os bancos adotam um prazo de até 90 dias de atraso no pagamento das prestações antes de tomar alguma medida legal, portanto, procure a instituição antes disso.

4- Analise as possibilidades previstas no seu contrato e verifique se a portabilidade é vantajosa

Se você está comprando a primeira moradia, é possível utilizar os recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para abater as parcelas do financiamento. Porém, uma das melhores soluções de obtenção de juros menores é a portabilidade de crédito.

Nesse caso, os juros cobrados pela instituição atual será comparado com os oferecidos pela nova a ponto de verificar qual é mais vantajoso. Além disso, o processo é feito gratuitamente entre ambos os bancos, e o cliente só precisará pagar pela reavaliação do bem e a transferência de alienação no cartório de registro.

Contudo, antes de fazer a portabilidade, tente contatar o banco atual e buscar uma negociação. “Converse com o credor e explique que pretende pagar, mas dentro de suas possibilidades e planejamento. Fique atento e aberto a negociações, priorize seus objetivos e verifique se as taxas estão menores e as parcelas cabem no seu bolso”, orienta a especialista.

No próprio contrato existem cláusulas a respeito das condições do inadimplemento, forma de execução da dívida e desocupação do imóvel. O banco irá agir dentro das possibilidades dadas pelo contrato. “As condições de cada negociação são particulares. Mas, no geral, as renegociações serão dentro de taxas menores, diferenciadas e prazos longos”, diz.

Cadastrando-se no site da Melhortaxa, você receberá gratuitamente toda a assistência sobre como fazer financiamento com os menores juros do mercado. Por isso, não perca mais tempo e faça já uma simulação!

Veja Também