Quais são os principais e o melhor empréstimo pessoal?

Prazo e juros são os principais aspectos a serem levados em consideração

Existem diversos tipos de créditos para pessoas físicas disponíveis no mercado. Para escolher o melhor empréstimo pessoal é necessário conhecer cada um e para qual momento são indicados.

Em geral, o empréstimo pessoal é um recurso utilizado para quitar dívidas ou auxiliar em uma fase de aperto. Mas, dependendo do crédito, o dinheiro também pode ser usado para a concretização de sonhos. Saiba mais!

?

Empréstimo para pessoa física

O crédito pessoal para pessoa física é um dos recursos mais solicitados pelos clientes e pode ser feito pelo celular. Os correntistas já têm um limite pré-aprovado estabelecido pelo banco, de acordo com o seu histórico. Nesse sentido, as pessoas que costumam pagar as contas em dia têm mais chance de terem um crédito mais alto.

Os juros desse empréstimo variam de instituição para instituição. Em setembro de 2018, a taxa era de 3,91% ao mês, somando 58,45% ao ano, de acordo com a Anefac. A vantagem desse tipo de crédito é que ele pode ser contratado facilmente, sem burocracia.

Cartão de crédito

O cartão de crédito pode ser o herói e o vilão das finanças ao mesmo tempo. Tudo irá depender da maneira como o consumidor enxerga esse empréstimo. Vale notar que o cartão tem uma das taxas de juros mais caras, chegando a 11,74% ao mês.

Para quem utiliza o cartão em um momento de emergência ou para fazer compras pela internet — há sites que só permitem esse tipo de pagamento — é importante ter atenção. Esse tipo de crédito não deve ser visto como uma extensão da renda, pois, se for, a quitação será difícil.

Caso a pessoa tenha um rendimento de R$ 3.000 e utilize R$ 1.500 no cartão, obviamente, a fatura não será fácil de pagar. Afinal, mesmo que o salário seja maior do que a conta, há outros gastos mensais fixos, como moradia e alimentação.

Portanto, a vantagem do cartão de crédito é que ele pode ser usado para auxiliar no dia a dia, quando precisar fazer uma situação emergencial. Ele também é uma alternativa para comprar determinados produtos na internet, como é o caso de passagens aéreas.

Penhor

O penhor é uma espécie de empréstimo em que o cliente toma determinada quantia de dinheiro, colocando em garantia um objeto de valor. Caso não honre com seus compromissos financeiros, o banco poderá vender o bem.

Atualmente, o penhor é oferecido pela Caixa Econômica Federal. A instituição aceita como garantia joias, diamantes, relógios, canetas e pratarias de valor. Depois de quitar o empréstimo, o cliente pode resgatar o objeto no banco.

A vantagem do penhor é que esse crédito tem juros baixos, por ter uma garantia atrelada à comprovação de renda. Então, mesmo que o indivíduo não pague, a instituição não fica no prejuízo.

Empréstimo com garantia de imóvel

Semelhante ao penhor, o empréstimo com garantia de imóvel permite tomar o crédito colocando a propriedade como segurança de pagamento. Em função disso, essa modalidade apresenta a menor taxa de juros. Nesse caso, eles são de 16,7% ao ano, em média.

Chamado ainda de refinanciamento imobiliário, esse crédito possui algumas vantagens com relação aos demais. Pode-se citar, por exemplo, o grande montante disponível, que pode chegar a até 60% do valor do imóvel. Além disso, os mutuários têm até 20 anos para efetuar o pagamento da dívida.

Apesar de ter o imóvel como garantia, é importante destacar que o intuito do banco não é tomar o bem para vendê-lo. Sobretudo no caso de uma propriedade — cuja venda envolve muito custo e burocracia —, é preferível, muitas vezes, negociar a quitação com o cliente.

Empréstimo consignado

O empréstimo consignado é destinado a um público específico, composto por servidores públicos, trabalhadores conveniados ao banco, pensionistas e aposentados.

As parcelas do crédito são descontadas diretamente em folha de pagamento. Por essa razão, o empréstimo é considerado mais seguro pela instituição, motivo pelo qual ela pode cobrar menos dos clientes.

Financiamentos

Tanto para a compra de veículo quanto para a aquisição da casa própria, o financiamento bancário é uma ótima opção. Para torná-lo mais barato, a dica é dar uma entrada maior, para que as parcelas sejam menores.

O financiamento pode ser feito em até 35 anos, dependendo da instituição. Vale notar que quanto menor for o prazo e maior a entrada, menores serão as parcelas. Por isso, é tão importante fazer o planejamento financeiro.

Na Melhortaxa, você pode comparar as taxas de financiamento imobiliário e de refinanciamento de imóveis e veículos, sem sair de casa. Aproveite essa facilidade para economizar e contratar o melhor empréstimo pessoal para você!

Veja Também