Planejamento financeiro para adquirir um empréstimo é essencial!

Antes de recorrer aos bancos para adquirir um empréstimo, é essencial que a pessoa se planeje e adeque a dívida ao seu orçamento

Tratar de dívidas e investimentos é algo normal, que a maioria das pessoas, em algum momento da vida, acaba passando. Nesses casos, é importante estabelecer um planejamento financeiro para acabar não se apertando ainda mais com o dinheiro. A primeira regra é gastar menos do que ganha — sempre.

Além disso, controlar impulsos consumistas também é necessário. É comum nos vermos em situações de desejo por algum produto ou serviço específico. Colocar na balança as prioridades, então, se faz necessário. Dessa forma, evita-se gastar com que não precisamos.

Se a dívida começar a crescer — ou até mesmo se for necessário mais dinheiro para fazer algum investimento —, uma boa ideia pode ser dar o imóvel próprio como garantia para conseguir um empréstimo. Se esse for o caso, a Melhor Taxa encontra as melhores condições do mercado para você!

Por que é importante ter um planejamento financeiro para saldar as dívidas?

Em situações de dívidas ou de projetos audaciosos que necessitam de empréstimos junto aos bancos, é importante ter um controle financeiro regrado e com constante monitoramento para não prejudicar a sua situação econômica. Um planejamento adequado, com certeza, é um bom caminho para não se atolar ainda mais dívidas.

Em vários casos, adquirir crédito pode ser uma ideia arriscada. Ao pegar um empréstimo com algum banco, automaticamente a pessoa obtém, também, a responsabilidade de honrar as parcelas do crédito — caso contrário, além da possibilidade de sujar o nome, os juros pesam ainda mais no bolso dela.

Nesse sentido, estabelecer um planejamento financeiro mensal ajuda a projetar os gastos, controlá-los e, ao fim de todos os meses, realizar uma mensura geral. Caso a renda seja suficiente para arcar com empréstimo, o planejamento servirá como apoio para impedir que as finanças saiam do controle.

Montando um bom planejamento para as finanças pessoais

Mesmo sendo muito importante para controlar os gastos, montar uma planejamento financeiro pode não ser tão simples — algo que, certamente, faz com que algumas pessoas abram mão de controlar as suas finanças. No entanto, não é tão necessário assim, por exemplo, montar uma planilha enorme com o controle de gastos.

 

Claro que, quanto mais dados, melhor. Porém, há alguns fatores mais importantes do que saber para onde o dinheiro vai, como estabelecer metas mensais ou até mesmo a longo prazo em relação a o que fazer com o montante. Viver de acordo com a sua condição financeira, nesse caso, é fundamental.

 

Inclusive, metas realistas podem ser o mais indicado. Naturalmente, muitas pessoas tendem a almejar objetivos ousados, com alto grau de risco — algo normal e, de certa forma, bom e inspirador. No entanto, é importante saber que, com paciência e planejamento financeiro, o empréstimo adquirido junto ao banco — ou qualquer outra dívida — será saldado.

Algumas dicas para manter as finanças em ordem

A fase de quitação de dívidas — ainda mais se tratando de empréstimos — pode acabar apertando um pouco as finanças pessoais. Nesse sentido, saber algumas dicas para não gastar mais do que deve pode ser interessante. Um bom exemplo é aquele velho conselho: compre somente o que for necessário.

 

Queira ou não, controlar os impulsos consumistas ajuda a manter as finanças em dia. Inclusive, quando for necessário gastar, a melhor ação a se tomar é comparar o máximo possível os preços de mercado do produto a ser adquirido. Certifique-se de que o custo-benefício em questão seja o maior possível — o melhor é gastar pouco e, ainda assim, obter qualidade.

 

Por fim, saiba que um dos maiores “vilões” da organização financeira é o cartão de crédito. Parcelar uma compra pode ser muito interessante, dependendo do valor do produto a ser adquirido. No entanto, é importante prestar atenção às taxas de juros — em uma compra a prazo, as tarifas acabam encarecendo ainda mais o produto.

Vantagens de adquirir um empréstimo dando o imóvel como garantia

Para adquirir empréstimos com taxas mais vantajosas, uma boa ideia pode ser dar o próprio imóvel como garantia. Caso esteja planejando saldar as dívidas ou investir da maneira que for, um refinanciamento pode ser a solução.

Além da taxa de juros baixa, o pagamento, normalmente, possui um prazo de pagamento longo. Por exemplo: enquanto os empréstimos pessoais costumam ter de ser pagos em até cinco anos, o refinanciamento permite a pessoa parcelar a dívida em 20 anos. Inclusive, além do prazo, o volume de crédito é maior dando o imóvel como garantia.

Em até 30 dias, é provável que o montante esteja em mãos — em caso de aprovação do refinanciamento, claro. Realizando um bom planejamento financeiro para quitar a dívida no prazo desejado, o dinheiro do empréstimo poderá ajudar — e muito.

No entanto, o quão útil ele pode ser e quais as melhores condições e taxas para se adquirir um refinanciamento de imóvel podem variar. Para saber melhor sobre isso, recomendamos que seja preenchido o formulário do nosso site. Com certeza os especialistas da Melhor Taxa poderão ajudar com isso!

Veja Também