Para que serve o paisagismo?

O trabalho do arquiteto e do decorador é bastante claro para a maioria das pessoas. Eles são os profissionais que projetam os espaços de uma casa, tendo como fim a funcionalidade e a beleza da sua obra. Mas o que faz um paisagista? Menos conhecidos do que seus dois colegas de área citados, eles muitas vezes têm seu trabalho pouco compreendido. Afinal, o que eles de fato fazem por um jardim e qual a importância do seu trabalho para um projeto?

Ferramentas a favor de um novo jardim – Em uma casa ou edifício o jardim pode se tornar um elemento importante para a beleza de todo o conjunto. Em um projeto arquitetônico, ele também merece ser levado em conta. Um imóvel não se limita ao seu interior, e toda a área externa, desde as fachadas até as áreas de lazer, precisa ser também pensada para ser funcional e se harmonizar com o restante do projeto. O jardim, quando existe, é parte fundamental disso. Isso se aplica não só a residências, mas também a todo tipo de edifícios de uso comum e a espaços públicos.

E não apenas os jardins de tamanho grande. Mesmo jardins pequenos podem – e devem – ser trabalhados por um paisagista, que saberá utilizar sua área da melhor forma. Isso porque o sentido de espaço é um dos principais elementos a ser observado na concepção do projeto do jardim. Em uma área grande, isso será realçado. Em um jardim pequeno, a escolha correta dos elementos – como a ausência de árvores muito grandes e arbustos volumosos, que obstruem a visão – conseguirá, por exemplo, passar a sensação de que a área é maior.

A criação de um espaço harmonioso vai além da questão do tamanho. Caso o terreno seja irregular ou sem linhas bonitas, o trabalho do paisagista irá “disfarçar” esses defeitos através de truques visuais, do uso da perspectiva e da escolha das plantas.

Elementos fundamentais – O objetivo de um paisagista é criar um espaço agradável e o mais natural possível. E isso só pode acontecer levando-se em conta as características do terreno em questão, o que faz do paisagismo uma arte bastante realista: por mais que você tenha visto em uma revista um jardim incrível e peça para o paisagista fazer um igual para você, essa reprodução pode não ser possível. O tamanho, linhas e relevo do terreno, fatores naturais como insolação e vento e o clima local é que determinam o que pode ou não ser feito.

Existem alguns princípios básicos a se levar em conta nesse tipo de projeto. A topografia – isto é, se o terreno é plano ou inclinado – determina o traçado geral do projeto, assim como as características do imóvel e os possíveis usos do jardim. Um jardim com grande circulação de pessoas precisa ser diferente daquele visitado apenas pelos moradores de uma casa.

O tipo de clima determina quais plantas podem ser implantadas. Não adianta morar em um lugar com clima tropical, namorar uma planta típica de lugares temperados e fazer questão de tê-la no seu jardim, porque ela não irá se adaptar. As características do solo como textura e fertilidade, também ajuda a escolher as plantas e os métodos de cultivo. O uso de boas mudas e adubos e o acompanhamento da obra também são fundamentais para se obter um bom resultado. 

Veja Também