7 regras para refinanciar imóvel que você precisa saber

Conheça os principais aspectos desse tipo de empréstimo

Refinanciar um imóvel pode ser uma ótima alternativa para quem precisa de dinheiro extra. Esse produto financeiro tem taxas mais baixas e pode ser liberado em poucos dias.

Mas, antes de solicitar o seu empréstimo, é necessário entender melhor como ele funciona. Confira as principais regras para o refinanciamento de imóveis!

1 - Comprovação de renda

Embora envolva uma garantia, o refinanciamento de imóvel requer comprovação de renda. Essa documentação é solicitada pelo banco, pois ele não deseja tomar o bem do consumidor.

Se o consumidor deixa de pagar, a instituição precisa colocá-lo a leilão, o que não é um procedimento tão simples. Por esse motivo, é preferível que o cliente pague a dívida.

O consumidor precisa apresentar documentos que mostrem que as parcelas do empréstimo não irão comprometer mais do que 30% da renda. Acima disso, as chances de inadimplência são maiores.

2 - Alienação fiduciária

Quando um imóvel é colocado como garantia de um empréstimo, ele se torna alienado. Na prática, significa que o bem é transferido para o banco até o fim do contrato.

Mesmo assim, o proprietário pode continuar a morar no imóvel, enquanto a instituição credora tem posse indireta. Caso o cliente fique inadimplente, o banco poderá tomar o bem — embora não seja a intenção.

3 - Alienação única

Você só pode alienar o seu imóvel em uma operação. Em outras palavras, é proibido usar a mesma propriedade para obter mais de um empréstimo com garantia de imóvel.

Essa regra serve para proteger o próprio consumidor de outras dívidas e as instituições financeiras. Afinal, se houver dificuldade para pagar um empréstimo, é provável que as outras dívidas também fiquem pendentes.

4 - Imóvel próprio

Muitos ainda não sabem, mas é possível refinanciar um imóvel que não seja próprio. Nesse caso, o dono deverá estar de acordo com a operação e assinar um documento que esclareça isso.

Por exemplo: alguém tem renda e deseja realizar um plano, mas não tem uma propriedade ainda. Nessa situação, a pessoa pode usar o imóvel dos pais para obter o empréstimo. No entanto, o nome dos proprietários precisará constar no contrato.

Obviamente, é preferível utilizar o próprio imóvel. Mas nada impede você de colocar a propriedade de um familiar de confiança como garantia, se ele aprovar.

Também é possível solicitar o crédito se o seu imóvel ainda não estiver quitado. Porém, o banco pode pedir que ao menos 50% da propriedade tenha sido paga no financiamento.

5 - Limite de crédito

Embora seja possível solicitar uma grande quantia de dinheiro por meio do refinanciamento, existe um limite e ele é de 60% do imóvel. Quando a propriedade tem um alto valor, os próprios consumidores costumam solicitar menos.

Um apartamento que vale R$ 1 milhão, por exemplo, poderia liberar até 600 mil de empréstimo. Porém, o dono pode precisar de apenas R$ 200 mil. Como os juros incidem sobre o valor e o tempo solicitados, o indicado é avaliar as propostas dos bancos.

Assim, você irá obter exatamente o que precisa com as condições ideais. Se quiser, utilize agora mesmo o nosso simulador para verificar como poderia pagar pelo empréstimo.

O valor do imóvel considerado é dado por uma empresa terceirizada que faz a análise. A partir de então, o cliente pode dizer o quanto de dinheiro precisa e as condições oferecidas.

6 - Venda de imóvel alienado

Quando o imóvel está alienado em uma operação de refinanciamento, ele pode ser vendido. Porém, a venda acontece de maneira diferente.

Nessa situação, o comprador quita a dívida com o banco e espera pela baixa da alienação fiduciária — que deve ocorrer em 30 dias. Depois dessa etapa, o novo proprietário precisa pagar o restante do valor do imóvel ao vendedor, para que o bem seja transferido de nome.

Quem possui um imóvel alienado não consegue vendê-lo antes de quitar a dívida. Por esse motivo, o primeiro passo da venda é fazer com que o comprador pague o empréstimo ao banco.

Para facilitar esse tipo de operação, é recomendável buscar uma assessoria especializada, como um advogado. Assim, você terá mais segurança para lidar com toda a burocracia envolvida.

7 - Taxas diferentes

Da mesma forma que financiar, refinanciar um imóvel envolve taxas. No caso desse empréstimo, elas costumam ser mais baixas, por causa da garantia.

Cada instituição bancária cobra um custo para liberar esse tipo de empréstimo. Por esse motivo, é importante que você simule os créditos em diferentes instituições para encontrar as melhores condições.

Na Melhortaxa, você pode simular e refinanciar o imóvel sem dificuldades. Aproveite agora mesmo para obter o dinheiro que você precisa!

Veja Também