Por que o capital de giro é importante para a empresa?

Vai empreender e não sabe o que é o capital de giro? Ele será muito importante para a manutenção da sua empresa

Para um empresa conseguir se manter e, principalmente, crescer, é necessário possuir recursos financeiros suficientes. Nesse sentido, saber o que é capital de giro é essencial, pois é ele quem está envolvido diretamente com as contas e os recebimentos de toda e qualquer instituição que envolva lucros e gastos.

 

Para entender melhor para que serve esse capital de giro e qual pode ser uma das formas mais fáceis de conseguí-lo, confira o post abaixo!

Para que serve e o que é capital de giro?

Para uma empresa se manter, é necessário dinheiro. Por manutenção entendemos, por exemplo, o pagamento de salários e impostos, a compra de produtos para estoque e as reformas para atender melhor os clientes. O dinheiro contabilizado, nesse caso, diz respeito aos valores que a empresa possui em caixa e aplicados em bancos.

Deve-se contabilizar, também, diferentes fontes de recursos financeiros que, de forma rápida e fácil, se convertem em dinheiro. Saber o que é capital de giro é essencial para que uma empresa mantenha a sua saúde financeira. Em suma, é ele quem garantirá que a instituição continue nos conformes estabelecidos pelos sócio-proprietários.

No entanto, tão importante quanto a necessidade de capital de giro é a empresa saber controlá-lo. Nesse caso, estamos falando do ativo circulante e do passivo circulante, que consistem, consequentemente, nos recursos que entram e saem da instituição. O senso comum de que “não se deve gastar mais do que se tem” é importantíssimo nessa questão.


Por “circulante” nos dois casos acima, entendemos os ativos e passivos referentes aos últimos 12 meses da contabilidade da empresa - considerados como “curto prazo”. Passado esse período, todo recebimento e gasto se torna “não-circulante”. Imóveis e bens duráveis, devido a não facilidade em se converter para dinheiro, também são considerados ativos não-circulantes - independentemente do período.

Ainda se tratando do capital de giro de uma empresa, além do controle dos mínimos detalhes dos gastos e dos recebimentos, recomenda-se ter uma reserva de dinheiro, a fim de garantir a manutenção em tempos de crise.

Os diferentes tipos de capital de giro

Para responder a pergunta “o que é capital de giro?”, está correto afirmar que o mesmo é todo e qualquer recurso financeiro de fácil conversão com fins de garantir a manutenção de uma empresa. No entanto, é importante ressaltar que, nesse caso, existem diferentes categorizações de capital de giro que não podem ser confundidas.

 

Na maioria das vezes, estamos falando sobre o capital de giro líquido, que consiste em todo o montante financeiro disponível para a empresa utilizar na sua manutenção - nesse caso, não estão inclusos os ativos não-circulantes. Dentro dessa quantia líquida, provavelmente alguma parte poderá ser considerada como capital de giro próprio.

 

Estes são os recursos financeiros de posse única e exclusiva referentes à empresa. Empréstimos bancários, por exemplo, podem ser considerados capital de giro líquido, mas não próprio.

 

Ainda há o capital negativo e o associado a investimentos. O primeiro, como o próprio nome sugere, é mais um status do que algo físico: quando a empresa gasta mais do que recebe, seu saldo estará negativo. Já na segunda opção, significa que o capital de giro está associado a investimentos - ou seja, é utilizado para cobrir os custos envolvidos na operação.

Qual a melhor forma de adquirir mais capital de giro para uma empresa?

Ter os mínimos cuidados com as finanças de uma empresa é essencial, mas não basta para que o negócio tenha sucesso em suas operações. Tão importante quanto é desenvolver estratégias que ajudem a instituição a levantar o capital de giro necessário para se manter e, consequentemente, evoluir as suas estruturas.

A expansão, inclusive, é importantíssima para empresas de pequeno porte. No início da sua trajetória, é quase certo que haverá mais gastos do que ganhos - dificilmente foge-se disso. No entanto, com o montante suficiente para fazer o negócio ir pra frente e aprender a “caminhar com as próprias pernas”, chega-se num ponto sustentável.


Nesse sentido, adquirir um empréstimo junto a algum banco ou empresa que trabalhe com crédito pode ser uma ótima ideia para o princípio de um negócio. Dependendo da necessidade de gastos iniciais, quanto maior o valor adquirido, melhor. Para isso, uma opção de “tiro certo” é refinanciar um imóvel.

Adquirir capital de giro com garantia de imóvel ainda configura um montante de crédito bem maior. Com taxas mais baixas do que diversas outras modalidades de empréstimo - inclusive o empréstimo pessoal -, o refinanciamento é compatível com o valor de avaliação do imóvel. Os prazos de pagamento também são vantajosos, podendo chegar em até 20 anos.

Sabendo o que é capital de giro e como o refinanciamento de imóvel é vantajoso na obtenção de recursos para uma empresa, a melhor opção, então, é buscar a melhor taxa do mercado - e isso a gente faz para você! Solicite um refinanciamento no nosso site e comece a levantar um maior capital de giro para a sua empresa!

 
Veja Também