Imóveis compactos definem estilo de vida

A venda de imóveis compactos aumentam a cada ano. Segundo o Sindicato de Habitação (Secovi-SP), “apartamentos de até 65 metros quadrados representaram 63% do total das vendas na cidade de São Paulo, com mais de 14 mil unidades comercializadas”, até setembro do ano passado. O preço varia muito, tudo vai depender, principalmente, do local desses imóveis. Nas regiões nobres, o valor tende a aumentar, mas diminui se estiverem localizados em cidades-dormitórios, próximas da capital.

Entre as razões que impulsionaram a venda desses imóveis, estão os novos arranjos familiares, a falta de espaço para se construir em zonas mais centrais e as facilidades de obter crédito fácil para a compra. Inclusive, tende a aumentar as negociações de imóveis compactos em função das expectativas da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança  (Abecip)  de o volume de financiamento crescer em 15% em 2014. A Melhortaxa, site que presta serviço gratuito a quem deseja encontrar propostas de crédito imobiliário adequadas para o seu bolso, acredita que este ano as facilidades para financiar farão muitas pessoas felizes pela compra da casa própria, independentemente do seu tamanho.

Mas é possível morar com qualidade num imóvel compacto, às vezes com 20 metros quadrados. A procura maior acaba sendo de pessoas, com aproximadamente 30 anos,  que moram sozinhas e trabalham o dia todo fora. O conveniente para esse perfil são os espaços comuns. Apesar do imóvel ser compacto, a área de lazer reúne muitos serviços, como spa, quadras de tênis, de basquete, piscina, academia, churrasqueira, bar etc. Em alguns locais há até um cantinho para cachorros.

O que conta muito também é o jeito de se decorar o imóvel. Há algumas dicas que precisam ser consideradas, para não diminuir ainda mais o espaço.

Primeiro
Não compre mais do que precisa. Desapego é a palavra de ordem. Liberte-se da ilusão de que muitos itens são sinônimo de viver bem. Aprecie um estilo de vida moderno e prático, já habitual nos países da Europa e nos Estados Unidos (EUA).

Segundo
Valorize a circulação do ambiente e opte por poucos móveis, porém multifuncionais. Planeje-se antes de sair comprando o mobiliário. Há camas excelentes que durante o dia cumprem muito bem o papel de sofá. Mesa para refeição que ainda pode servir de mesa de escritório é uma excelente saída, como os pufes que cumprem essa função. Nesse caso, aquela mobília de família antiga e pesada não entra  na  decoração dos compactos.  

Terceiro
A pintura que dá sensação de amplitude é o branco, principalmente no teto e na parede. Fuja de forro de gesso, para não comprimir o espaço, pois o pé-direito desses imóveis está cada vez menor.  Busque tons mais leves e neutros para pintar a casa. Cores quentes e fortes comprimem ainda mais as áreas. Um truque para ajudar os ambientes parecerem maiores é o de posicionar espelhos na sala.

Quarto
Aproveite os espaços da melhor maneira possível com prateleiras acima das portas, corredores, abaixo de escadas; vale a pena aproveitar todos os cantinhos que num primeiro momento parecem inúteis.

Quinto
As roupas de cama, mesa e banho não precisam ser compradas em quantidade. Tenhas dois jogos e quando necessitar troque-os. Há soluções criativas, como, por exemplo,  a peça que é edredom de um lado e cobertor do outro, para a mudança inesperada de tempo. Tudo é uma questão de planejamento, organização e pesquisa do mobiliário. Pouco pode ser o suficiente em ambientes compactos, pense nisso!

 

Veja Também