Garantia fiduciária: qual escolher

Entenda as diferenças entre os dois tipos de empréstimo e escolha o melhor para as suas necessidades

A garantia fiduciária, também conhecida como alienação fiduciária, consiste em transferir a propriedade de um bem para uma instituição financeira. Em troca, o banco empresta determinada quantia de dinheiro, de acordo com o que foi colocado em garantia.

No Brasil, existem dois tipos de garantia fiduciária: o refinanciamento de veículo e o de imóvel de garantia. Os dois créditos possuem particularidades especiais. Entenda melhor esse assunto e saiba qual empréstimo é indicado para a sua necessidade!

?

Como funciona a garantia fiduciária

A garantia fiduciária foi criada para substituir a hipoteca. Diferentemente daquela, a alienação é menos burocrática e não necessita de ações judiciais. Assim, o credor podem tomar os bens de maneira mais simples, ainda que esse não seja o objetivo dele. As instituições emprestam o dinheiro para lucrarem com o pagamento.

Em caso de inadimplência, os bancos preferem negociar a dívida do que, simplesmente, tomar o bem. Seja casa ou veículo, a venda da garantia iria gerar custos, além de demandar tempo.

No contrato de alienação fiduciária, algumas cláusulas são obrigatórias. É preciso constar, por exemplo, o valor do empréstimo, os juros cobrados, o prazo de pagamento, a descrição do bem alienado e item assegurando o livre uso pelo devedor.

Refinanciamento de imóvel

O refinanciamento de imóvel é um dos empréstimos com melhor custo-benefício do mercado. Além das taxas baixas, que giram em torno de 14% ao ano, o cliente pode obter um valor significativo nessa modalidade.

Como a alienação fiduciária está associada com o preço do bem e os imóveis costumam ter valor elevado, o crédito tende a ser alto. Ele pode ser de até 60% da propriedade. No entanto, as parcelas a serem pagas não precisam ser altas, pois o prazo para o pagamento é de até 20 anos.

Vale notar ainda que o dinheiro tomado no refinanciamento de imóvel é livre. Assim, o cliente pode determinar a melhor forma de utilizar o empréstimo. Por isso, há quem o solicite para pagar dívidas pendentes — já que muitas vezes os juros são menores —, reorganizar a empresa ou apenas a realização de algum plano pessoal.

Como solicitar o refinanciamento de imóvel

Para solicitar o refinanciamento de imóvel, é necessário apresentar alguns documentos. Entre os papéis requeridos estão CPF, carteira de identidade, comprovante de renda e de residência. Também são exigidos os documentos relacionados com o imóvel, como certidão de matrícula e IPTU.

Além da documentação, as instituições financeiras fazem uma vistoria na propriedade, para saber o quanto de fato vale. A última etapa consiste na assinatura do contrato pelas duas partes.

É importante destacar que o refinanciamento imobiliário pode ser feito por quem está negativado e até mesmo quem não tem um imóvel próprio. Nesse caso, o propriedade precisa assinar um termo de ciência que o bem será alienado.

Refinanciamento de veículo

O refinanciamento de veículo é bastante semelhante ao imobiliário, exceto por alguns detalhes. Nesse tipo de crédito, o valor disponibilizado é de até 90% o preço do automóvel, de acordo com o valor de mercado.

Levando em consideração que os carros em geral custam bem menos do que uma casa ou apartamento, esse crédito é mais indicado para resolver gargalos pequenos de dinheiro. O refinanciamento pode ser usado, por exemplo, para quitar dívidas não tão grandes e efetuar uma pequena reforma na residência.

No que se refere ao prazo para pagamento, o máximo para a quitação desse crédito é de 48 meses, isto é, quatro anos. Mas, assim como o refinanciamento de imóveis, a taxa do empréstimo é bastante baixa, em média de 1,7% ao mês.

Como solicitar o refinanciamento de veículo

Para solicitar o refinanciamento de veículo é necessário que o indivíduo tenha um automóvel no próprio nome. Isso é diferente do que acontece com o empréstimo com garantia de imóvel, em que é possível alienar o bem de alguém — desde que a pessoa tenha a ciência e assine um termo.

Além disso, o solicitante precisa apresentar uma série de documentos, como CNH, comprovante de renda e residência, e as certidões do veículo. Nesse caso, a instituição financeira também realiza uma vistoria para averiguar as condições do automóvel.

Conclusão

Tanto o refinanciamento de imóvel quanto de veículo é ideal para quem precisa de um dinheiro extra, com rapidez e custo baixo. A grande diferença está no montante disponibilizado. O empréstimo com imóvel em garantia permite obter 60% do bem, enquanto o de automóvel possibilita tomar 90%, lembrando que o valor do primeiro tende a ser bem mais alto.

Na Melhortaxa, você pode simular e solicitar a garantia fiduciária que o seu orçamento precisa. Aproveite agora mesmo para solicitar o refinanciamento da sua casa ou veículo, sem sair de casa!

Veja Também