Saiba como comprovar renda sendo assalariado ou autônomo!

Saiba quais documentos entregar de acordo com a sua categoria profissional ou fonte de renda

Indiscutivelmente, o financiamento junto a alguma instituição financeira é uma das maneiras mais acessíveis de se adquirir um imóvel residencial. Nesse caso, além de taxas bem menores do que um empréstimo pessoal comum, essa modalidade de crédito ainda possibilita o consumidor de parcelar a dívida em um período muito maior. Saber como comprovar renda é essencial para evitar imprevistos nessa etapa.

 

As formas de o fazer, no entanto, são diferentes, e dependem da categoria em que o trabalhador interessado em adquirir o crédito imobiliário está. Confira o post abaixo da Melhor Taxa e saiba qual a importância de comprovar a renda nesse processo e como o fazer dependendo do seu registro como trabalhador!

Entenda a necessidade de comprovar renda na aquisição de um financiamento

O processo de aquisição de um financiamento imobiliário acaba tomando tempo e envolvendo diversas burocracias inevitáveis ao cliente. No entanto, antes de fazer qualquer simulação junto às instituições financeiras, é necessário que o consumidor visite stands de vendas e tenha em mente quais os imóveis de sua preferência.

 

Com isso, ele terá em mãos os valores necessários para tornar completa a simulação de financiamento. Ela possibilita o cliente e a instituição financeira de saber todos os números envolvidos em um possível contrato de financiamento imobiliário. As taxas de juros, por exemplo, aparecem pela primeira vez aqui.

No geral, chega-se, nessa etapa, em um valor aproximado da parcela para a quitação do crédito a ser adquirido pelo cliente. O próximo passo é o momento de apresentar todos os documentos requisitados pela instituição. Além disso, é necessário saber como comprovar renda — pois, na maioria das negociações de financiamento, essa é a principal garantia de pagamento para o banco.

 

A empresa que cederá o crédito, de certo, fará uma análise financeira do seu cliente para dar seguimento — ou não — ao empréstimo imobiliário. A não ser que a pessoa tenha renda para financiamento, os trâmites não irão chegar na assinatura do contrato.

O processo de comprovação de renda sendo assalariado, rentista ou aposentado

Tendo em vista a importância de dar uma garantia financeira ao credor, afinal, como comprovar renda? Esse trâmite não é tão difícil quanto pode parecer. As próprias instituições estabelecem um padrão de comprovação de renda para os seus clientes — seja com algum documento ou por qualquer outro meio.

 

O processo, no entanto, se diferencia de acordo com a qualificação profissional do cliente interessado no crédito. Para quem trabalha de forma assalariada e registrada, por exemplo, o trâmite é mais fácil: basta levar a própria carteira de trabalho e cópia da declaração do Imposto de Renda e dos últimos três holerites.

 

Já se a pessoa for aposentada ou pensionista, além da cópia do Imposto de Renda — que será obrigatório em todos os casos —, é necessário levar o comprovante de recebimento do benefício dos últimos três meses e, também, uma declaração do órgão previdenciário. Se o financiamento for requisitado por um rentista, apenas o IR bastará em relação a como comprovar renda.

 

Trabalhadores rurais, diferentemente de todas as outras categorias de cliente, podem acabar necessitando de outros documentos para comprovar sua renda. O DECORE (Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos) é um exemplo de comprovante de renda nesse caso, assim como a declaração de um sindicato ou associação ligada ao trabalhador.

Autônomos também conseguem comprovar sua renda!

O caso dos trabalhadores autônomos é, no geral, o mais distinto em relação às outras categorias exemplificadas acima. No entanto, mesmo não possuindo nenhum vínculo empregatício com alguma empresa ou organização, é possível, sim, achar uma forma de como comprovar renda e, consequentemente, adquirir um financiamento imobiliário.

 

É importante que todo e qualquer serviço prestado pelo autônomo seja computado e, principalmente, registrado em um contrato de prestação de serviço. Dessa forma, há um registro legal e reconhecido de que o trabalhador em questão possui renda. Como em todas as outras categorias, o Imposto de Renda também deverá ser apresentado.

 

O Recibo de Pagamento de Autônomo (RPA) e o DECORE são dois documentos que ajudam nessa situação. No entanto, algo que o trabalhador sem vínculo pode fazer para facilitar o processo de como comprovar renda de autônomo é formalizar o seu trabalho, abrindo um MEI (Microempreendedor Individual) ou qualquer outro registro que não seja muito custoso.

 

Além disso, receber todos os pagamentos mensais em uma mesma conta por um período de seis meses também servirá como comprovante de renda. O extrato de movimentação da sua conta atesta que o valor declarado na hora da simulação é real — o prazo de seis meses, porém, é uma exigência das instituições financeiras para utilizar o extrato como comprovante.

 

Interessado em adquirir a melhor taxa do mercado para não apertar muito a sua renda mensal com a quitação da dívida? Solicite um financiamento de imóvel no nosso site e consiga isso!

 


  • Como comprovar renda?
Compartilhe
Veja Também