Já pensou em contratar o empréstimo com garantia imobiliária? Por ser uma das linhas de crédito com a incidência dos menores juros do mercado, esta é uma modalidade interessante para o consumidor.

Conhecida também como hipoteca de imóvel, esse tipo de crédito consiste em oferecer um bem de alto valor — como um imóvel — em troca de determinada quantia.

Inclusive, por se tratar de um imóvel — cujo patrimônio é bem alto —, o crédito com garantia de imóvel gera mais segurança para a empresa credora. Porém, se as prestações não forem pagas, o bem pode ser leiloado.

Entenda melhor sobre como isso é possível e quais são os riscos de perder sua propriedade para o credor. Acompanhe o conteúdo abaixo e conheça um pouco mais sobre esse tipo de empréstimo.

Refinanciamento imobiliário

O empréstimo com garantia imobiliária é associado a vários termos no mercado de crédito, como hipoteca, alienação fiduciária e refinanciamento de imóveis. Todos esses nomes são usados para definir uma única ação: colocar um bem de alto valor — geralmente uma casa — como garantia de pagamento de uma linha de crédito.

Os juros dessa modalidade de empréstimo, em geral, ficam em torno de 16,7% ao ano, ajudando muitos brasileiros que querem limpar o seu nome e aumentar o score de crédito.

Por que a garantia imobiliária não é tão popular?

Curiosamente, os créditos mais procurados pelos brasileiros são os que possuem as taxas de juros mais elevadas do mercado. Isso se deve, principalmente, ao fato da garantia fiduciária ser associada a alguns mitos, fazendo o consumidor acreditar que vai perder sua casa ao dá-la como garantia.

Porém, não é bem assim. Ao contrário do que diz o senso comum, quase não existe mais hipoteca de imóvel no Brasil e as chances de você perder a casa é praticamente nula.

garantia imobiliária

Apenas em último caso, quando os recursos do cliente se esgotarem, o banco poderá entrar com o pedido de execução fiscal. Mesmo assim, o credor não levará vantagem no processo, pois, mesmo se o bem for a leilão, o processo demandará muitos custos e burocracia para se concretizar.

Até hoje, o refinanciamento é a única modalidade de crédito em que é preciso dar uma garantia imobiliária — de alto valor aquisitivo. Consequentemente, essa modalidade de empréstimo também possui uma das maiores margens de crédito.

Empréstimo com garantia imobiliária X demais tipos de crédito

Como se sabe, a diferença entre os juros cobrados por um empréstimo em garantia é enorme quando comparado aos outros tipos de crédito. Um exemplo são os valores dos índices do cheque especial, que ultrapassam facilmente a casa dos 100% a.a.

Juros altos também afetam pessoas jurídicas

Caso você seja uma pessoa jurídica e deseja abrir uma franquia ou pequena empresa, já deve conhecer a importância de ter um capital de giro. Com ele, é possível financiar reformas e ampliações no quadro de colaboradores, sem precisar mexer no patrimônio ou no orçamento pessoal.

Diante disso, bancos oferecem empréstimos voltados justamente para aqueles que desejam obter uma injeção de dinheiro no capital de giro. Porém, ao contratar um crédito com garantia imobiliária, é possível obter até 60% do valor do bem como crédito, ou seja, trata-se de valores mais altos.

Dependendo do seu projeto e porte da empresa a ser aberta, esse alto volume de dinheiro é a melhor forma de manter um capital de giro e fazer os investimentos necessários no negócio.

Veja como a Melhortaxa pode te ajudar!

Como você viu, o refinanciamento com garantia imobiliária é a melhor maneira de quitar suas dívidas atrasadas, obter capital de giro e ainda usar o dinheiro como bem entender.

Ficou interessado? Então, cadastre-se gratuitamente na Melhortaxa e receba todo o suporte, desde a simulação até a assinatura dos contratos com o banco capaz de atender a seu perfil!

LEAVE A REPLY

Coloque seu comentário
Please enter your name here