Carta de crédito contemplada: saiba como usá-la!

Ao receber a carta de crédito contemplada, atente-se quanto a alguns pontos importantes a se considerar antes de fechar negócio

Uma das formas de obter uma carta de crédito contemplada é por meio a realização de sorteios ocorridos mensalmente. Neles, o número de beneficiados pode variar de acordo com a quantidade de membros existes em um grupo de aquisição de cotas e da administradora contratada.

Além disso, oferecendo lances fixos, embutidos ou livres nas assembleias, as chances de contemplação aumentam. Isso porque, oferecendo as ofertas em uma espécie de leilão, você estará adiantando o pagamento das prestações e, quem oferecer o maior valor, leva o volume total da carta.

Recebida a carta contemplada, o próximo passo é saber como usá-la durante a aquisição de um novo imóvel. Mesmo o processo sendo um pouco semelhante ao de contratação de financiamento, existem alguns pontos diferentes relacionados à documentação e comprovação de renda. Confira!

1- Tenha garantias de pagamento ao fechar negócio

Muitas vezes, as administradoras podem solicitar ao consorciado algumas garantias antes da compra e venda do bem ser efetuada. De certa forma, essa é uma maneira do credor ter alguma garantia de que o valor de mercado de um imóvel será pago totalmente, dentro dos prazos estabelecidos.

Inclusive, no site do Banco Central do Brasil, há uma lista com todos os bens a serem usados como garantia durante a aquisição da propriedade. Dentre eles, podem-se citar a presença de um fiador, um outro imóvel registrado no nome do cliente (no caso da compra de um segundo imóvel), dentre outros.

2- Comprove sua renda ao credor

A comprovação de renda é outro item a ser providenciado quando tiver em mãos uma carta de consórcio contemplada. No caso de trabalhadores com carteira assinada, normalmente, é solicitada uma cópia da carteira de trabalho e a apresentação dos últimos holeirites de pagamento.

Caso o contemplado seja aposentado, a maneira mais simples de comprovar renda é mostrando o extrato de pagamento e uma cópia do cartão de benefício do INSS. Já no caso de trabalhadores autônomos e sem registro em carteira, basta apresentar a declaração de Imposto de Renda feita no último ano e os extratos bancários da conta corrente.

3- Disponibilize todos os documentos pessoais

Assim como no financiamento, ao adquirir um imóvel fazendo uso de um consórcio contemplado, o banco pode solicitar a apresentação de alguns documentos pessoais. Portanto, é sempre importante ter em mãos:

  • RG e CPF/CNPJ;
  • comprovante de renda (já descrito acima),
  • comprovante de residência do último mês cujo remetente seja o nome de quem contratou o consórcio.

4- Atente-se quanto aos documentos do imóvel

Este é um dos pontos mais importantes a serem considerados pelos consorciados a fim de agilizarem o processo de aquisição um imóvel. Caso a documentação de um imóvel pronto ou de um terreno não esteja regularizada, alguns entraves podem ocorrer durante a negociação.

Caso decida adquirir um imóvel pronto, novo ou usado, os seguintes documentos podem ser solicitados:

  • matrícula atualizada presente no Cartório de Registro de Imóveis;
  • Certidão Negativa de Tributos Municipais;
  • escritura ou outro documento semelhante,
  • Certidão de Valor Venal, usado no cálculo a ser pago anualmente de IPTU.

Agora, se pretende construir imóvel em um terreno adquirido com os recursos da carta de crédito contemplada, os seguintes documentos podem ser exigidos:

  • memorial com a descrição total da obra a ser executada;
  • alvará emitido pelos órgãos municipais;
  • cronograma de obras com detalhes sobre prazo e outras informações,
  • planta do imóvel previamente aprovada pela prefeitura com todas as informações relacionadas à área construída e tamanho de cada cômodo.

5- Adicione o FGTS ao valor da carta, caso queira

Na aquisição de qualquer imóvel residencial, você pode contar com um importante aliado para complementar o valor da carta de crédito: o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Assim como no financiamento, este benefício trabalhista pode ser usado tranquilamente na compra do seu novo lar.

Imagine a seguinte situação: a carta de crédito contemplada possui um valor de R$ 600 mil. No entanto, o imóvel a ser adquirido pelo consorciado está avaliado no mercado com a quantia de R$ 650 mil. Diante disso, é possível usar o saldo disponível de FGTS para complementar os R$ 50 mil restantes.

Contudo, cabe lembrar, é muito importante verificar as normas de uso do FGTS na aquisição de um imóvel disponíveis no site da Caixa Econômica Federal. Assim, caso alguma norma não esteja de acordo com sua atual situação, você não será pego de surpresa ao ser impedido de usar este recurso.

Sabendo como usar a carta contemplada, fica muito mais fácil adquirir um novo imóvel de forma rápida e segura. Caso tenha mais alguma dúvida, cadastre-se já no site da Melhortaxa e receba total assistência de nossos colaboradores durante a aquisição e contemplação de um consórcio imobiliário!

Veja Também