Carnaval em Goiás promete tocar o seu coração

Quer sair da folia e passar um Carnaval diferente, num local original, bucólico e poético? Goiás é a cidade sugerida para esse feriado, com uma população de quase 25 mil habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/2010). Fica num dos estados mais promissores do país, começando pela performance da indústria da construção civil, cujo o valor das incorporações, obras e serviços chegou a R$ 6,39 bilhões (IBGE), com um crescimento considerado acima da média nacional. Conforme a Associação das Empresas do Mercado Imobiliário, as contratações do crédito imobiliário, no Estado de Goiás, em 2013, somaram o volume recorde de R$ 6,5 bilhões, um crescimento de 25% sobre o ano anterior.

A urbanização em todo o estado contrasta com a construção colonial da cidade de Goiás, que foi a capital por mais de 200 anos, cedendo a posição para Goiânia, em 1930. Chamada carinhosamente pelo moradores de “Goiás Velha”, a cidade tornou-se Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade há dez anos, um título que lhe foi conferido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco).

Entre vielas, becos, casarões pintados com cores fortes destacando a arquitetura dos séculos XVIII e XIX, é comum os moradores deixarem as portas de suas casas abertas durante o dia, para demonstrar a receptividade da população local. E não estranhe se você for convidado a entrar, para um cafezinho e um biscoito de queijo.

O cenário é bucólico para quem deseja descansar e vivenciar um pouco da cultura popular goiana, diferente dos centros urbanos. Pode-se começar a entender um pouco do cotidiano da cidade, visitando o Museu Casa Velha da Ponte, onde morou Cora Coralina, poetisa e contista. Ela era doceira quando publicou o primeiro livro, Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais, aos 75 anos. Cora viveu até os 95 anos. 

Quem visita a cidade pode se hospedar em hotéis mais requintados a pousadas rústicas. A comida típica serve empadão goiano, pamonha, bolo de arroz, entre outros. No Mercado Central, o turista encontra desde comida típica a lojinhas de artesanatos. Mas vale a pena também conhecer os restaurantes que ocupam os casarões, onde as mesas ficam acomodadas de modo a aproveitar todos os ambientes até mesmo o quintal.

Para refrescar, a dica é visitar a Praça do Coreto, no Centro de Goiás, e aproveitar para experimentar os picolés e sorvetes produzidos com frutas do cerrado goiano. Há sabores de diversas frutas exóticas, como murici, cajá, graviola, jabuticaba, cagaita e pitanga.

Nessa mesma praça, rodeada por casarões e bares, acontece um dos eventos regionais mais famosos da cidade, o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica), que atrai turistas e cineastas de todo o mundo.

Pela receptividade e acolhimento encontrado na cidade, dá para compreender o verso de um dos poemas de Cora Coralina: “Nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas”.

Veja Também