Entenda como os juros influenciam no cálculo de financiamento

As taxas de juros são diferentes entre as instituições financeiras, podendo ser consideradas um produto do mercado

Um dos principais fatores que encarece o financiamento de um imóvel é a taxa de juros. No entanto, além dela, há outros encargos na composição de uma prestação dessa modalidade de crédito — por exemplo, a amortização e os seguros — que influenciam no cálculo de financiamento.

 

Nesse sentido, pode ser interessante entender como é determinada uma taxa de juros e o que influencia na sua variação — confira o post abaixo da Melhor Taxa.

Como são determinadas as taxas de juros?

Para calcular o financiamento, é necessário considerar os encargos financeiros que estão além da simples amortização — a taxa de juros, nesse caso, é um deles. No entanto, já parou para pensar em como as instituições financeiras determinam o valor das suas tarifas em financiamentos e outras operações bancárias?

 

Pode parecer curioso, mas tome como ponto de partida o fato de que os juros são, em sua essência, o “custo” da instituição em emprestar o crédito ao cliente. De certa forma, os credores não lucram caso o consumidor apenas devolva o valor adquirido no empréstimo. Para reverter essa situação, eles cobram uma taxa sobre a amortização do mês — eis, então, os juros.

 

Não é errado caracterizar essas taxas como produtos do mercado financeiro. Dessa forma, existindo diversos concorrentes em cada uma das modalidades de crédito, as instituições financeiras acabam por se basear nos valores do mercado para estabelecerem as suas próprias taxas. No entanto, esse não é o único fator determinante.

 

 

As garantias de adimplência oferecidas pelo cliente também contam muito na hora de estabelecer os juros do financiamento imobiliário em questão. Caso um determinado negócio pareça arriscado demais para a instituição, é bem provável que as taxas sejam um pouco maiores — isso se a empresa ceder o empréstimo.

O tamanho do imóvel influência nos juros?

Devido a diferença dos valores de metragem entre os bairros de uma mesma cidade, é comum que achem que o tamanho de um imóvel influencie nas taxas de juros de um financiamento. No entanto, saiba desde já que essa afirmação é errônea, pois, em momento algum, o cálculo de financiamento considera o tamanho do imóvel como uma variável do resultado final.

 

Dois fatores influenciadores, no entanto, são o valor do bem imobiliário e a sua finalidade — ou seja, se é um imóvel residencial ou comercial. Quanto mais caro for a compra, é fato que as taxas de juros serão maiores se comparadas com um projeto do programa “Minha Casa, Minha Vida”, por exemplo.

 

Caso seja feito um cálculo de financiamento para um imóvel comercial, é certo que as taxas serão maiores, enquanto o prazo de pagamento será menor. Se tratando de imóveis residenciais e do sonho de muitos brasileiros de possuírem a casa própria, as instituições financeiras buscam um lucro maior por meio de taxas e prazos maiores.

Há alguma relação entre as taxas de juros e a Selic?

Principalmente para quem vai negociar tal modalidade de crédito pela primeira vez, há diversas perguntas sobre financiamento que o consumidor deseja ter respostas. Como calcular taxa de juros, de fato, é a mais frequente. No entanto, algumas outras relacionadas podem ser interessantes ter conhecimento sobre.

 

Enquanto o tamanho do imóvel não influencia no valor das taxas de juros, a Selic o faz de forma indireta. Isso acontece pois, de certa forma, há algumas relações entre os juros simples com os praticados no mercado imobiliário. Os dois são como concorrentes de recursos dos investidores — principalmente da caderneta de poupança.

 

 

Conforme a Selic aumenta, é comum que tais investidores migrem de investimento, a fim de maximizar seus ganhos. Caso haja uma falta de fundos relacionado a essa taxa, a correção, para não prejudicar o mercado, é feita por meio do spread — que consiste na diferença de preço de oferta e procura em uma ação ou título.

 

Dessa forma, sempre que a Selic é alterada pelo governo, é comum que as instituições financeiras ajustem os juros de financiamento imobiliário para não saírem em desvantagem.

O cálculo de financiamento está além dos juros

Não se pode deixar o planejamento financeiro de lado em momento algum durante a compra da casa própria. Financiar um imóvel envolve gastos além da amortização e das taxas mensais de juros. Embutido na própria prestação do imóvel estão, também, os seguros de Morte e Invalidez Permanente e Danos Físicos do Imóveis.

 

Quanto a isso, utilizar um simulador de financiamento imobiliário é necessário, pois ele indicará boa parte dos gastos que o consumidor terá durante o prazo de quitação da dívida. Saiba, também, que alguns custos relacionados a parte de documentação podem aparecer no meio do processo — algo que, inevitavelmente, deve estar no planejamento financeiro.

 

Porém, mesmo havendo outros encargos que encarecem o financiamento de imóvel, uma das melhores maneiras de baratear a operação é encontrando a menor taxa do mercado — algo que fazemos por você! Solicite um financiamento no nosso site e conheça o serviço!

 
Veja Também