A bola de neve de uma dívida do cartão de crédito

Evite pagar o mínimo e busque alternativas para quitar a dívida do cartão de crédito e sair do prejuízo

De acordo com o Banco Central, os juros do cartão de crédito rotativo passaram de 295,5% em fevereiro para 299,4% a.a em março deste ano. Portanto, quem deixa de quitar uma fatura ou simplesmente paga o valor mínimo, pode comprometer a renda mensal a ponto de formar uma bola de neve.

Para uma dívida do cartão de crédito não ser formada, é preciso seguir algumas recomendações a fim de manter-se organizado quanto às finanças. No caso, optar por um refinanciar seu imóvel e trocar a dívida por alguma mais barata, pode ser a melhor solução. Confira!

Dicas de como controlar suas finanças

Antes de mais nada, crie o hábito de criar uma planilha de controle financeiro no seu computador, com o intuito de saber quanto poderá gastar de acordo com sua renda. Assim, ao chegar no fim do mês, as chances de fechar suas contas no vermelho serão muitos menores.

Nela, insira em uma coluna todas as entradas de capital obtidas ao longo do mês e some-as. Na outra, coloque os débitos e contas a serem pagas. Faça a diferença entre o total das duas colunas e, se o resultado for positivo, muito bem; caso seja negativo, reveja seu planejamento e corte alguns custos.

1- Evite fazer uso do cartão de crédito no dia a dia

Algumas pessoas fazem a solicitação de cartão de crédito e enxergam este pedaço de plástico como uma extensão de suas rendas. Na verdade, isso pode ser uma cilada. Isso porque, mesmo o pagamento da fatura não sendo no mês vigente, cedo ou tarde ela irá ocorrer e é preciso estar preparado.

Em outras palavras, se o orçamento não comportar a dívida feita anteriormente, a mesma ficará em aberto e acumulando juros. Diante disso, a melhor solução é utilizar o crédito apenas em situações específicas, como a compra de um item de alto valor e, mesmo assim, dividindo em poucas prestações.

Já ouviu o ditado, “de grão em grão, a galinha enche o papo”? Pois então, se você fazer várias compras de baixo valor no crédito, no fim do mês, o valor da fatura pode atingir níveis absurdos. Também é importante pensar sempre em seu planejamento financeiro e não gastar mais do que seu orçamento permite!

2- Opte por parcelas fixas

Caso não tenha o dinheiro total da fatura na data de vencimento, prefira sempre parcela-lá ao invés de pagar apenas o mínimo. Isso porque, nas prestações fixas, mesmo incidindo juros, estes são menores em relação ao crédito rotativo e acúmulo de valor no mês seguinte.

No entanto, leve em consideração o seguinte: o parcelamento da fatura é um recurso a ser usado apenas em situações de emergência. Mesmo o credor oferecendo esse tipo de “oportunidade especial” todos os meses, planeje-se financeiramente e tenha sempre como o primeira opção o pagamento integral.

3- Troque a dívida por outra mais barata

Se o pagamento está atrasado e você não sabe como quitar dívida do cartão de crédito, uma alternativa é optar por trocá-la por uma mais barata, como o refinanciamento. Assim, com um elevado volume de dinheiro em mãos, é possível quitar todos os débitos mais rápido e economizar com os juros.

Há quem se assuste com a ideia de fazer mais uma dívida, mas a ideia é que esta última não seja mais uma — e sim a única. Uma modalidade cada vez mais utilizada no país é o crédito com garantia de imóvel. Por meio dele, você pode se livrar dos juros abusivos, quitar a dívida e ainda ter algum dinheiro extra.

Entenda melhor o refinanciamento de imóvel

O refinanciamento imobiliário é, atualmente, uma das modalidades mais baratas de crédito e considerada uma excelente alternativa para se livrar de uma vez das dívidas. Seus juros anuais giram em torno de 16,7% — muito menor em relação aos 299,4% do cartão, facilitando a quitação por parte do cliente.

Essa grande diferença existe porque a instituição financeira tem a certeza do pagamento de toda a dívida por parte do cliente. Embora a propriedade seja dada como garantia, não é o objetivo do credor tomar o bem, pois isso exigiria custos e burocracia indesejáveis.

Se por acaso o cliente atrasar o pagamento do empréstimo, por exemplo, o credor tenta negociar o pagamento a ponto de reaver o prazo de quitação da dívida.

Vantagens de contratar um refinanciamento

No refinanciamento imobiliário, o indivíduo pode obter até 60% do valor do imóvel dado como garantia. O prazo de pagamento também é atraente: até 240 meses (20 anos) — o quádruplo do crédito pessoal, cujo prazo se limita a apenas 60 meses (5 anos)

Outra vantagem de solicitar esse tipo de produto é a rapidez com a liberação da quantia solicitada, normalmente feita em até 45 dias. A partir daí, o montante obtido poderá ser usado do jeito que o cliente julgar melhor, inclusive no pagamento de dívidas ativas do cartão de crédito.

A Melhortaxa te ajuda a refinanciar seu imóvel

Buscando uma reestruturação financeira para trocar dívida do cartão de crédito por uma mais barata? A Melhortaxa compara as tarifas das maiores instituições financeiras do país e indica a melhor opção de refinanciamento de acordo com seu perfil.

Tudo isso sem cobrar nada e com total assistência, desde a simulação até a assinatura dos contratos. Por isso, não perca mais tempo, preencha nosso formulário e cadastre-se já em nosso site!

Veja Também