6 casos em que o consórcio de casa é uma boa opção!

O consórcio de casa pode ser uma boa opção de crédito se você quer comprar um imóvel isento das taxas de juros

Dependendo da situação, contratar um consórcio de casa pode ser a melhor alternativa para adquirir seu novo lar. Como se sabe, ao comprar uma carta de crédito, um grupo de pessoas pode ser contemplado com sorteios mensais ou com lances ofertados em um processo semelhante ao de um leilão.

Neste post, vamos explicar melhor seis momentos em que fazer um consórcio imobiliário pode ser a melhor opção de acordo com sua situação financeira. Desde isenções de juros, até questões envolvendo melhor garantia, é muito importante entender quando as cartas de crédito podem te ajudar.

?

1- Quando você não tem dinheiro para dar entrada no financiamento

Normalmente, ao contratar um financiamento imobiliário, os credores podem solicitar até 30% do valor total do bem como entrada. Diante dessa situação, é preciso ter feito um planejamento financeiro nos últimos anos a fim de conseguir juntar todo o montante necessário e dar início a este processo.

Por essa razão, a melhor maneira de conseguir adquirir um novo imóvel é optar por participar de um consórcio. Nele, não é preciso se preocupar em dar nada de entrada e sim apenas ir pagando valores mensais da carta de crédito adquirida de acordo com o seu orçamento.

Outra vantagem neste ponto diz respeito à comprovação de renda. Enquanto nos financiamentos é preciso separar toda a documentação capaz de verificar seus ganhos mensais, nos consórcios isso não precisa ser feito a princípio e sim apenas quando sua carta for contemplada. Mas lembre-se: não comprometa mais de 30% do seu salário com o pagamento das prestações.

2- Quando se está a procura de taxas mais baixas

Na maioria das vezes, as taxas de um consórcio cobradas pela administradora costumam ter valores menores em relação aos financiamentos. Isso envolve também a inexistência das taxas de juros durante o pagamento das prestações mensais.

A taxa paga à administradora, cabe lembrar, não precisa quer quitada de uma vez só. No caso, seu valor total é diluído nas parcelas e, por sua vez, estas são pagas mensalmente, evitando pesar no seu bolso.

3- Quando não há pressa para se mudar

Os consórcios imobiliários dependem um pouco de sorte! Caso não tenha dinheiro para ofertar um lance a fim de ser contemplado, o jeito é esperar a realização dos sorteios mensais e torcer pelo beneficiamento de sua carta de crédito.

Portanto, a dica neste item é voltada a quem não possui pressa em se mudar. Do mesmo jeito que você irá levar alguns anos até se mudar para um apartamento ainda na planta, sua carta de crédito pode demorar até ser contemplada.

4- Quando se quer fugir dos juros do financiamento

Quem contrata um consórcio imobiliário fica livre dos temidos juros cobrados pelos credores em outras modalidades de crédito. Ao ser contemplado, você receberá todo o valor da carta (exceto em situações de lance embutido) e, assim, poderá adquirir a propriedade à vista na maioria das situações.

Como já mencionado, as únicas taxas a serem pagas são as administrativas e estas são diluídas nas prestações mensais.

5- Quando o pagamento precisa ser mais flexível

Flexibilidade no pagamento define uma das principais vantagens do consórcio de imóveis. Isso porque, caso sua situação financeira esteja favorável, pode-se antecipar o pagamento de algumas parcelas sem tanta burocracia, como nas amortizações extraordinárias.

Normalmente, conseguimos dar uma alavancada no pagamento das prestações ao receber as férias remuneradas, o abono salarial no fim do ano, dentre outras situações. Ainda, com um montante a mais em mãos, será possível até mesmo ofertar lances e antecipar o recebimento da carta contemplada.

6- Quando se quer ter garantia do negócio

Caso surja algum arrependimento durante a aquisição de um imóvel por financiamento, será praticamente impossível ter todo o dinheiro investido de volta. Já se um consórcio for contratado, isso não acontecerá, pois você poderá investir o dinheiro da carta contemplada em qualquer outro bem.

Para entender melhor a situação, considere o seguinte exemplo:

  • caso um financiamento seja contratado, a pessoa já estará pagando uma quantia todo mês referente a uma propriedade pré-definida;
  • no ato de contratação do consórcio habitacional, você se imagina morando em um apartamento cujo valor é de R$ 600 mil em um determinado bairro da cidade;
  • porém, até sua carta ser contemplada, seus gostos passaram a ser diferentes. O apartamento a ser adquirido custa R$ 500 mil em uma outra região e os R$ 100 mil restantes serão usados na compra de um carro,
  • portanto, não será perdido nenhum montante com o pagamento das prestações do consórcio, pois ele não possui vínculo com um imóvel específico.

Desde 2010, o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) pode ser usado como forma de auxiliar no pagamento das prestações do consórcio. Atente-se quanto às suas normas de utilização e faça uso deste recurso trabalhista durante o processo de aquisição do imóvel.

Contratar um consórcio de casa pode ser a melhor alternativa de acordo com seu perfil financeiro. Caso queira saber mais sobre o assunto, cadastre-se no site da Melhortaxa e receba apoio de nossos especialistas durante a análise do melhor tipo de crédito levando em conta suas necessidades!

Veja Também