5 dicas para conseguir um financiamento e evitar o distrato

É importante ficar atento para evitar surpresas desagradáveis

Você encontrou a residência dos seus sonhos. Metragem, pé direito, localização, enfim, todos os pontos te levam a crer que não pode perder a oportunidade de adquirir o imóvel. Mas, antes de fechar a compra, é necessário tomar cuidado para evitar o distrato de imóvel.

Imprevistos podem ocorrer e isso deve ser levado em consideração. Um exemplo disso é a crise que o país vem atravessando. Em situações como essa, o número de distratos tendem a aumentar, pois muitos compradores ficam sem condições de cumprir o acordo.

?

O que é o distrato imobiliário?

Quando se adquire um imóvel na planta, é usual que o comprador pague diretamente à incorporadora uma quantia. Esse valor costuma estar entre 20% e 30% do valor do imóvel, ao longo de todo o período de construção.

Concluídas as obras, o restante do valor deverá ser quitado com recursos próprios ou por meio de um financiamento imobiliário. No atual cenário econômico, os bancos estão bastante rígidos com relação à liberação de crédito.

Em função disso, muitos recorrem ao cancelamento do contrato, isto é, ao distrato contratual do imóvel. Porém, essa iniciativa possui condições para que seja feita, e conta com uma espécie de multa pelo descumprimento do acordo.

Possível regulamentação

O tema do distrato é bastante polêmico no Brasil. Atualmente, não há uma lei específica que trate do assunto, o que gera insegurança jurídica. Diante disso, o Plenário do Senado irá analisar em breve o Projeto de Lei do Senado (PLS) 288/2017 e o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 68/2018.

A discussão principal é com relação ao valor da multa. O projeto — que foi aprovado na Câmara e seguiu para o Senado — prevê que quem desistir do imóvel deverá pagar até 50% do valor da propriedade.

Para os parlamentares contrários, as novas regras favorecem apenas as construtoras. Já para os favoráveis, a falta de regulamentação só ajuda os especuladores a ganhar dinheiro e prejudica o setor de construção.

Como evitar o distrato

Para que não haja surpresas no momento de repassar a dívida do imóvel para um banco, é necessário que o comprador se planeje financeiramente. O segredo está em se adequar às exigências bancárias para a liberação do crédito.

Confira algumas dicas que podem te ajudar a conseguir um financiamento imobiliário sem grandes dificuldades:

1- Renda compatível com a solicitação de crédito imobiliário

Tenha em mente que a parcela do financiamento pode comprometer, no máximo, 30% da sua renda líquida. Ou seja, se nos cálculos da instituição financeira, a parcela referente ao financiamento imobiliário superar 30% da sua renda mensal disponível, você não conseguirá o empréstimo.

Vale reforçar que outras dívidas são levadas em consideração no cálculo do comprometimento de renda. Caso você já esteja em processo de quitação de outras dívidas, o banco levará esses débitos em conta para fazer o cálculo em cima da renda líquida.

Uma opção também é tomar um crédito para aumentar o valor da entrada. Isso garante parcelas menores e maior facilidade na hora de pagar o financiamento.

2- Nome limpo

É imprescindível que o solicitante de crédito imobiliário não tenha restrição no CPF. Por isso, além de manter as contas em dia, é importante que monitore periodicamente os órgãos de proteção ao crédito para evitar surpresas.

3- Comprovação de renda formal

Em tempos de crise econômica, as regras se tornam mais severas para a liberação de crédito. Com isso, as instituições financeiras adotam uma postura mais rígida com relação à comprovação de renda.

Profissionais liberais precisam se atentar a esse ponto em especial, já que devem detalhar com maior profundidade suas fontes de renda. Caso esteja se preparando para solicitar um financiamento imobiliário, mantenha organizados todos os comprovantes referentes à sua renda.

4- Rating/score favorável

As instituições financeiras do país atribuem uma espécie de nota aos seus clientes baseada no histórico financeiro. Uma boa maneira de manter esse índice alto é não contrair compromissos financeiro, por exemplo, fazer uso do cheque especial e contratar empréstimo pessoal.

5- Manter os pés no chão

A aquisição de um imóvel comumente está atrelada à ideia de realização de um sonho. Mas é necessária uma boa dose de inteligência emocional para não contrair uma dívida expressiva por impulso.

Por isso, antes de sair em busca do imóvel dos sonhos, é muito importante analisar sua situação financeira e definir quanto você pode pagar por um imóvel. Ainda que o valor não permita comprar o imóvel ideal, você terá a tranquilidade de saber que será capaz de quitá-lo sem problemas.

Evite o distrato de imóvel e opte pelo financiamento imobiliário que cabe no seu bolso. A Melhortaxa compara as taxas das maiores instituições financeiras do país e indica a melhor opção para você. E sem cobrar nada por isso. Faça já uma simulação!

Veja Também